Buscar
  • ROY

Justiça suspende flexibilização da quarentena em Sorocaba

A suspensão afeta salões de beleza, lojas de tecidos e escritórios de advocacia


A Justiça tornou sem efeito a deliberação da Prefeitura de Sorocaba que permite o funcionamento de salões de beleza, lojas de tecidos e escritórios de advocacia na cidade. A decisão está em uma ação civil pública, contra o Executivo sorocabano, movida pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP).

No documento, de autoria da promotora Cristina Palma, o MP entende a medida municipal como uma flexibilização no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. A deliberação foi elaborada pela Prefeitura na semana passada. Já a decisão judicial, tornando a medida sem efeito, foi tomada na noite desta terça-feira (28).

Na decisão, o magistrado Leonardo Guilherme Widmann suspendeu os efeitos da deliberação número 2, de 22 de abril deste ano, emitida pelo Comitê de Avaliação e Combate ao Coronavírus de Sorocaba. Ele também determinou ao município de Sorocaba que adote todas as providências administrativas, inclusive no âmbito do poder de polícia, para integral observância e cumprimento do decreto estadual número 64.881 de 2020.




No decreto do Estado, é vedada a adoção de medidas menos restritivas em desacordo com as normas estaduais expedidas para combate à pandemia decorrente do novo coronavírus. Seja sob a forma de decreto, deliberação ou qualquer outra espécie de ato administrativo ou normativo, sob pena de multa diária. Divulgação da decisão


O magistrado ainda determinou que o Executivo sorocabano providencie ampla divulgação da decisão em seu site eletrônico. Isso também deve ocorrer em suas redes sociais, sob pena diária de R$ 10 mil.

O juiz, entretanto, considerou desnecessário considerar que eventual descumprimento da decisão caracterize ato de improbidade administrativa. “Eis que eventual configuração de atos de improbidade administrativa e de ilícitos penais decorre de lei, a tornar despiciendo que tal informação seja ressalvada”, afirma.

Ele também considerou desnecessário determinar que a Prefeitura de Sorocaba notifique todos os estabelecimentos que desempenham as atividades mencionadas na deliberação do Comitê de Avaliação e Combate ao Coronavírus.

A Prefeitura de Sorocaba afirmou que não foi notificada da decisão. Uma medida para recorrer ou não da decisão só será tomada após análise de seu conteúdo, segundo o Executivo.

A Ordem dos Advogados do Brasil, em Sorocaba, que ingressou como interessada contra a medida do MP, lamentou a decisão.

Decreto estadual


O governador João Doria. Crédito da foto: Governo do Estado de São Paulo (8/4/2020)

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) tem entrado na Justiça contra todos os prefeitos que adotarem medidas que afrouxem o isolamento social estabelecido pelo governo estadual. No entendimento do MP, tendo em vista a preservação da saúde coletiva em meio à pandemia, os prefeitos podem baixar decretos mais restritivos do que o do governo estadual, não menos.

O decreto número 64.881, do governador João Doria (PSDB), começou a valer em 24 de março. O documento impôs o fechamento do comércio, exceto serviços essenciais de alimentação, abastecimento, saúde, bancos, limpeza e segurança. Em 17 de abril, a quarentena foi prorrogada até 10 de maio.


Mesmo com as restrições, uma série de serviços está autorizada a funcionar no estado de São Paulo. O intuito é garantir as atividades essenciais especialmente nos setores da saúde, alimentação, abastecimento, logística e segurança privada.


Atendimento presencial


Vale destacar que o decreto suspende o atendimento presencial no comércio e na prestação de serviços. Também suspende o funcionamento de casas noturnas, shoppings centers, galerias e estabelecimentos congêneres, academias e centros de ginástica. As escolas já estavam com atividades suspensas, seguindo decisão anterior do governo estadual.


Alguns municípios paulistas têm tentado permitir funcionamento de atividades consideradas não-essenciais por meio de edição de decretos municipais. O MP já conseguiu reverter na justiça tentativas de flexibilização da quarentena em municípios como Marília, São José dos


Sorocaba tem 101 pacientes recuperados do coronavírus

O governador João Doria assinala que os ramos de atividades econômicas que ficaram de fora do decreto estão sendo submetidos à análise “caso a caso” pelo Centro de Contingência do Coronavírus de São Paulo. Eles só poderão ser alterados de “forma heterogênea” – isto é, de maneira diferente dependendo dos dados científicos de cada cidade ou região do estado -, a partir do dia 11 de maio. “Definiremos gradualmente os protocolos para essa volta responsável e segura à normalidade econômica, mas protegendo vidas”, disse.

Saiba o que pode funcionar na quarentena


Saúde: hospitais, clínicas, farmácias, clínicas odontológicas, lavanderias e estabelecimentos de saúde animal;

Produtos nas prateleiras de um supermercado. Crédito da foto: Arquivo


Alimentação: supermercados, hipermercados, açougues, padarias, lojas de suplemento e feiras livres. É vedado o consumo no local


Bares, lanchonetes e restaurantes: permitido serviços de entrega (delivery) e de compra sem sair do carro (drive thru). Válido também para estabelecimentos em postos de combustíveis


Abastecimento: cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção


Logística: estabelecimentos e empresas de locação de veículos, oficinas de veículos automotores, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos


Serviços gerais: lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica de produtos eletroeletrônicos e bancas de jornais


Segurança: serviços de segurança pública e privada

Comunicação social: meios de comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens credito: JORNAL CRUZEIRO DO SUL

59 visualizações

SIGA-NOS

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Instagram Branco

NEWSLETTER

Preços e condições de pagamento exclusivos para compras via internet, podendo variar na loja física. Ofertas válidas na compra de até 5 peças de cada produto por cliente, até o término dos nossos estoques para internet. Caso os produtos apresentem divergências de valores, o preço válido é o da Sacola de compras.
Vendas sujeitas a análise e confirmação de dados.​

Tex Burg ©2019 - All Rights Reserved

CPF/CNPJ: 12.345.678/0000-01 - Av. Itavuvu, 1330 -  Sorocaba, SP 18075-042 - Telefone: (15) 99736-5010

Carrinho0